Procura-se urgentemente candidato a deputado federal

A maior dificuldade das legendas e dos presidentes de partidos para as Eleições de 2022, sem dúvidas, será montar uma chapa competitiva para a Câmara dos Deputados. A primeira eleição nacional sem coligações será um jogo de vida ou morte para muitos partidos.

Nesse cenário difícil, estão inseridos muitos presidentes de grandes partidos como Cléber Verde (Republicanos), Edilázio Júnior (PSD), André Fufuca (Progressistas) Aluísio Mendes (PSC), Júnior Marreca (Patriotas), entre outros.

Sem as coligações, pode ser que muitos partidos, que já tenham representantes na Câmara dos Deputados, deixem de ter, o que deixaria de fora muito peixe grande da política estadual.

Entenda a dificuldade no exemplo: Caso o presidente do Republicanos, Cléber Verde, obtenha 100 mil votos na próxima eleição, mas quociente eleitoral fique em torno de 180 mil votos, o hoje deputado federal não será reeleito, muito menos será suplente, mesmo com uma votação expressiva. Para seu desespero, ele ficará fora da legislatura sem nenhuma chance de assumir o cargo.

O mesmo aconteceu com muitos nomes na disputa pelo legislativo de São Luís, como Rose Sales (Cidadania), André Campos (MDB), Afonso Manoel (Solidariedade), Didi do PP (Progressistas), entre outros, que mesmo com votações expressivas, seus partidos não atingiram o quociente eleitoral, os deixando sem nenhuma chance de assumir o mandato.

 

LEIA TAMBÉM: Carlos Brandão já recebeu 145 declarações de apoio desde o dia 29 de novembro

LEIA TAMBÉM: Francisco Nagib abandona projeto de Weverton e declara apoio a Carlos Brandão

LEIA TAMBÉM: Vídeo de Bolsonaro se derramando farofa repercute mal; está mais para “porco”, do que humilde, afirma internauta 

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.