Maranhão chega ao 5° lugar no ranking brasileiro de produção de pescado

Em pesquisa divulgada recentemente pela Associação Brasileira da Piscicultura (PEIXE BR), o Maranhão garantiu o 5ª lugar no ranking brasileiro de produção de pescado, com 48 mil toneladas.

No estado , a piscicultura é uma atividade em expansão e os principais motivos para este crescimento são a demanda de peixes em cativeiros, o baixo custo de manutenção, a boa remuneração dos produtores, a grande disponibilidade de água e de área para o cultivo. Outro fator importante identificado na piscicultura maranhense é a aceitação de peixes menores, pelo mercado consumidor. Este fator diminui o ciclo de produção e reduz, consequentemente, o custo de produção, contribuindo para a manutenção de pequenos produtores na atividade.

A principal espécie cultivada é o tambaqui, com mais de 90% da produção. No entanto, espécies como a curimatã (peixe nativo), tilápia e panga (exóticos) e os híbridos do tambaqui (tabatinga e tambacu) também são produzidos pelos piscicultores. Um dos maiores desafios é com relação ao comércio e à distribuição do seu produto. A formação de preços para alguns piscicultores ainda é uma tarefa muito difícil e complexa, pois exige uma boa gestão do negócio para conhecimento dos custos de produção.

De acordo o Anuário da Associação Brasileira de Piscicultura (PEIXE BR), publicado em 2021, o Maranhão figurou como o terceiro produtor brasileiro de peixes nativos no ano de 2020, à frente de Pará e Amazonas, com uma produção estimada de 40.800 toneladas, 5,94% maior que a de 2020. Esse crescimento é resultado das boas condições ambientais e incentivos governamentais, especialmente no que se refere à concessão de outorga de água para a atividade de piscicultura, que é considerado um entrave em outras regiões brasileiras. A piscicultura é uma atividade que se encontra em ascensão em diversas regiões brasileiras, possibilitando a inclusão produtiva e incremento de renda.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *