De ex-agente da KGB a presidente de Rússia, conheça Vladimir Putin

Vladimir Vladimirovitch Putin, de 70 anos, está há mais de 20 no poder e se tornou presidente da Rússia em 2000, após a renúncia de Boris Yeltsin. O líder russo ordenou, nesta quinta (24), a invasão de tropas na Ucrânia, logo após reconhecer a independência das regiões separatistas de Luhansk e Donetsk, que ficam na área ucraniana conhecida como bacia de Donbass.

As tensões entre Rússia e o Ocidente começaram a escalar desde que o governo ucraniano começou a se aproximar da Otan – aliança militar criada pelos Estados Unidos em 1949, durante a Guerra Fria. Na prática, o tratado da Otan prevê reações em caso de ofensivas contra os países que são membros.

Apesar de não ser um membro da aliança, a Ucrânia é um considerada um “país parceiro” — e, em algum momento, pode vir a fazer parte.

Ao anunciar o início da invasão da Ucrânia por ar, terra e mar, Putin alertou para que nenhum outro país interferisse na ação russa na região. Segundo ele, a tentativa de interferência levaria a “consequências nunca antes experimentadas na história.”

Putin nasceu em uma família operária da periferia de Leningrado, atual São Petersburgo, em 7 de outubro de 1952. Recém-graduado no curso de Direito, ele entrou para o treinamento da KGB, o serviço secreto russo, em 1975.

Iniciou a vida pública em 1994 como vice-prefeito da cidade de São Petersburgo.

Em 16 de agosto de 1999 Putin foi escolhido primeiro-ministro do então presidente Boris Yeltsin. Já em 2000, após a renúncia de Boris Yeltsin, Vladimir Putin foi eleito presidente da Rússia no primeiro turno.

De acordo com analistas, foi sua posição firme na segunda guerra da Chechênia (1999 e 2009) que mostrou estar mostrando o controle de Moscou sobre os rebeldes chechenos, o que foi sentido como um “ressurgimento” do poderio do Estado russo.

Em 2004, o líder máximo da Rússia conseguiu se reeleger e ficou mais quatro anos no poder. Ainda no ano de 2004, o presidente assinou o Protocolo de Kyoto, com o objetivo de reduzir os gases estufa.

Por não poder exercer mais de dois mandatos consecutivos, Putin cede o Kremlin a seu primeiro-ministro Dmitri Medvedev.

Em 2012 ele volta a ser eleito presidente no primeiro turno para um mandato de seis anos. A eleição foi marcada por manifestações inéditas da oposição.

Um ano depois de voltar para a presidência, Putin anuncia seu divórcio de Liudmila, sua esposa desde 1983, com quem tem duas filhas.

Anexação da Crimeia e apoio a Bashar Al Assad

No ano de 2014, o presidente russo promoveu a anexação da península ucraniana da Crimeia depois da ocupação por parte das tropas russas. Em 2015 Putin dá seu apoio militar ao regime do presidente sírio Bashar Al Assad.

O presidente da Rússia foi reeleito nas eleições de 18 de março de 2018, com ampla vantagem em relação aos seus adversários. Ele registrou mais de 76% dos votos e teve mais de 56 milhões de votos, número que supera seu recorde de 2004.

Em 2021, Putin sancionou uma lei que permite que ele concorra a mais dois mandatos depois do fim de sua atual gestão, em 2024. Com isso, o líder na Rússia poderá ficar no poder até 2036.

Em 21 de fevereiro de 2022, Vladimir Putin anunciou que reconhece duas regiões separatistas da Ucrânia, Luhansk e Donetsk, como independentes.

O passo agravou a tensão entre Rússia e Ucrânia, crise que começou com a intenção ucraniana de entrar para a OTAN – aliança liderada pelos EUA.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.