Com Lula na disputa, Bolsonaro volta a negociar filiação ao PSL

Após o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal(STF), anular as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o que o tornou elegível em 2022, o presidente Jair Bolsonaro retomou negociação para se filiar ao PSL, partido pelo qual disputou o pleito em 2018, mas do qual saiu brigado um ano depois.

Embora Bolsonaro, que disputa eleição majoritária, possa fazer coligação com outros partidos para aumentar seu tempo de TV, deputados federais e estaduais bolsonaristas, que disputam a proporcional, não poderiam usufruir da mesma estratégia, ficando reféns do tempo de televisão e do fundo partidário da futura legenda do presidente. Com isso, caso Bolsonaro decida ir para siglas nanicas como DC, PMN ou PMB, esses parlamentares não contariam com aparições na TV nem com verba para campanha.

Bolsonaro propôs ao PSL uma fusão com algum partido nanico, o que abriria, já neste ano, fora da janela partidária, brecha para políticos entrarem e saírem da sigla sem risco de sofrer sanções. Sem empolgação, o PSL avalia essa alternativa. Outro pedido de Bolsonaro foi que o PSL tire de seus quadros adversários políticos como Joice Hasselmann e Junior Bozella, ambos deputados federais eleitos por São Paulo. Dirigentes do PSL afirmam que estão dispostos a atender a esse pleito. (O Globo)

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *