Casal que tomou terceira dose tem empresas de luxo e protestava contra ‘corrupção do PT’

Acusados de tomar uma terceira dose da vacina da Covid-19, Jacques Rodrigues e Terezinha Geo serão processados por estelionato. O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) confirmou que vai entrar com uma ação contra o casal pela irregularidade.

Na última segunda-feira já havia ajuizado uma Ação Civil Pública de reparação por danos morais e sociais contra o casal. Jacques e Terezinha podem ter de pagar até R$ 2 milhões pelo delito.

Em fotos nas redes sociais, a empresária aparece em manifestações pelo impeachment da então presidente Dilma Rousseff, em 2015. Terezinha é proprietária de uma loja de joias com filiais em São Paulo e no Rio de Janeiro. A marca da mulher possui produtos de luxo como um anel de safira e diamante avaliado em R$ 86.760,00 e um colar de ouro branco com diamantes no valor de R$ 90.180.

No Instagram, a marca tem mais de 98 mil seguidores. Em uma aba especial dedicada a clientes famosos, intitulada “Quem Usa”, personalidades como as atrizes Marina Ruy Barbosa e Agatha Moreira e a apresentadora Sabrina Sato posam com as joias.

Terezinha também tem registros em eventos sociais ao lado de figuras como a socialite Donata Meireles, ex-diretora da Vogue. Já Jacques Rodrigues, o marido de Terezinha, é sócio-administrador de uma empresa de engenharia civil.

De acordo com o MP-MG, o casal tomou duas doses da CoronaVac em Belo Horizonte, onde tem residência, e a terceira dose, da Pfizer, em Rio Novo, na Zona da Mata mineira, onde possuem uma fazenda. A ação da qual são alvos também conseguiu tutela de urgência para impedir que eles tomem a segunda dose da Pfizer (quarta no total) ou a primeira de outro imunizante.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *