Carlos Lupi reage a potencial isolamento de Ciro Gomes com andanças de Lula pelo Nordeste

Os encontros de Lula com políticos nordestinos filiados ao PDT alimentaram a especulação de que Ciro Gomes estaria perdendo terreno na disputa em seu próprio partido na disputa pelo Planalto.

Pedetistas que serão candidatos em 2022 afirmam que não podem ingressar numa campanha de ataques contra Lula por temerem perder o voto do eleitorado petista. “Brizola dizia que para pegar abelha, você deve colocar mel, não sal grosso”, disse um pedetista, em condição reservada.

Em Pernambuco, Lula esteve junto do deputado federal Túlio Gadêlha, que já cobrou publicamente uma mudança de postura da parte de Ciro. No Maranhão, o petista se reuniu com Weverton Rocha, o candidato do PDT ao governo do estado. Rocha sonha em ter um palanque duplo, com as presenças de Lula e Ciro em 2022.

Na noite desta sexta-feira (20/8), Lula desembarcou no Ceará, reduto eleitoral de Ciro, onde cumprirá agendas até a segunda-feira (23/8). Em tom de provocação, um petista que integra o grupo de apoio a Lula disse que até agora não ouviu nenhuma autoridade mencionar o nome de Ciro.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi negou o risco de perda de apoio.

“Todos aqueles que se encontraram com Lula são candidatos do PDT. Não somos nós que estamos fazendo campanha para outra pessoa. Cada região tem seu contexto e alianças são normais. Não há vetos nem para alianças com o PT nem para alianças com o MDB.” (Metrópoles)

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *