Após um ano de pandemia, Bolsonaro anuncia criação de comitê de combate à Covid

Os chefes dos três poderes da República se reuniram nesta quarta-feira (24) para tratar do enfrentamento à pandemia. Assim como no pronunciamento de terça (23), o presidente Jair Bolsonaro defendeu a vacinação em massa e anunciou a criação de um comitê com representantes dos estados e do congresso para discutir medidas contra a crise na saúde.

Era para ser só com os chefes dos três poderes. Mas, na última hora, o presidente Jair Bolsonaro chamou sete governadores alinhados ao governo federal e todos os ministros. A reunião foi fechada, a imprensa não pode entrar. Segundo relato de participantes, Bolsonaro abriu o encontro falando de vacinas e previsão de entrega de doses.

No fim da reunião, que durou mais de duas horas, houve apenas pronunciamentos. Jornalistas não puderam fazer perguntas. No discurso, numa mudança de tom, Bolsonaro disse que a vida está em primeiro lugar. Não deu ênfase aos impactos de medidas restritivas na economia e defendeu a vacinação em massa. Mas voltou a falar em tratamento precoce.

Bolsonaro vinha sendo pressionado pelo Congresso, pela Justiça, por governadores e prefeitos a assumir a responsabilidade de coordenar o enfrentamento da pandemia no país. Quem participou da reunião, nesta quarta (24), saiu dizendo que a conversa foi amistosa e realista em relação aos problemas.

Ficou acertada a criação de um comitê com reuniões presenciais permanentes dos presidentes da República, da Câmara e do Senado, ministro da Saúde, procurador-geral da República e uma liderança científica. Bolsonaro, que vai presidir esse comitê, pediu ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, do Democratas, que assumisse a coordenação com os governadores, e Pacheco já marcou para sexta-feira (26) a primeira reunião.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *