Após 15 anos na Record, Adriana Araújo vai processar emissora por discriminação e injustiça

Após 15 anos na Record, a jornalista Adriana Araújo decidiu pedir as contas e processar a empresa. A jornalista, que está na emissora desde 2006, quer o reconhecimento de seus vínculos trabalhistas e alega ter sido vítima de discriminação e injustiças pela parte da empresa. Ainda não foi acordado o valor a ser recebido pela profissional caso ela ganhe a disputa.

O caso está correndo na 63ª Vara do Trabalho de São Paulo e, de acordo com o Notícias da TV, desde junho quando o processo foi interpelado, já aconteceram duas audiências entre Adriana e a Record. De acordo com a profissional, ela não foi contemplada com o processo de assinatura de carteira que a emissora adotou em 2016. Ela foi contratada como PJ (pessoa jurídica), ou seja, quem realiza trabalhos para empresas sem vínculo empregatício. Adriana alega que a discriminação foi referente a não ter sido escolhida pra a regularização de sua situação trabalhista.

Adriana Araújo foi demitida em março deste ano, após fazer críticas ao comportamento de Jair Bolsonaro e à cobertura da Record TV sobre a pandemia da Covid-19.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *