Maioria dos partidos aliados de Flávio Dino deve se manifestar a favor de Carlos Brandão

Está confirmada para acontecer nesta segunda-feira (29), às 18h, a reunião do governador Flávio Dino (PSB), com os presidentes de partidos da base aliada que tem como intuito anunciar o escolhido para disputar o governo do Maranhão com seu apoio em 2022. Em levantamento feito pelo Blog Diego Emir, a maioria das siglas partidárias deve manifestar seu apoio ao vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

Em 2018, Flávio foi eleito com o apoio do PCdoB, Republicanos, PSB, PT, PROS, PL, Avante, Patriota, PDT, DEM, PP, PTC, Cidadania, PPL, SD e PTB. De lá para cá, o PTB, PL, Patriota e Avante deixaram a base governista e o PPL se fundiu ao PCdoB.

Porém, outros chegaram como o PSDB e PSL, porém o segundo deixa de existir com a fusão com o DEM.

Diante do quadro atualizado, os partidos devem se manifestar da seguinte forma:

PSDB–PCdoB-Cidadania-PROS-PSB-PTC – A favor de Carlos Brandão

PDT-DEMePSL-PP – A favor de Weverton Rocha

PT – A favor de Felipe Camarão

SD – A favor de Simplício Araújo

Republicanos – Indefinido

Apesar desse resumo, o quadro não é tão simples, mas sim, existe muita complexidade por conta das particularidades internas de cada partido e também a manifestação de lideranças que não são presidentes de partidos.

O Cidadania é comandado por Eliel Gama, irmão da senadora Eliziane Gama, que até então se mantém apalavrada com Weverton Rocha, porém o comando do diretório é de Eliel que está apalavrado com Carlos Brandão.

O Republicanos comandado por Cléber Verde tende a acompanhar Carlos Brandão, mas por conta de uma interferência externa de Weverton Rocha junto a Marcos Pereira (presidente nacional), a posição do partido segue uma incógnita. Porém com a iminente saída de Gil Cutrim, a legenda ficaria livre para ficar com o vice-governador. Tanto que o PTC de Júnior Verde, irmão de Cléber, já é dado como certo como apoiador do tucano.

O presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB), presidente da FAMEM, Erlânio Xavier e o coordenador da bancada maranhense no Congresso Nacional, Pedro Lucas Fernandes (PTB), têm sua posição firme a favor de Weverton Rocha. O líder do governo deputado Rafael (PDT) é a favor de Brandão. O vice-líder Zé Inácio (PT), segue a posição do partido.

PT e Solidariedade apesar de defenderem suas pré-candidaturas próprias de Felipe Camarão e Simplício Araújo, respectivamente, devem acompanhar a decisão do governador e consequentemente seguir com Carlos Brandão.

O PT por exemplo poderia indicar o vice e Simplício já declarou que apoia Brandão, caso ele seja o escolhido.

Diante desse contexto, Carlos Brandão pode chegar a ter oito partidos lhe apoiando da base governista, contra três de Weverton Rocha. O que naturalmente causaria um racha na base governista.

Fora dessa lista de apoiadores na base governista, Brandão ainda pode atrair três legendas: PV, PRTB e o MDB, mas este último deve ficar apenas para junho de 2022.

Já Weverton ainda vai trabalhar para atrair o Podemos e o PMN, ambos aliados do prefeito de São Luís, Eduardo Braide, mas decisão esta que também ficaria apenas para o próximo ano.

O PSOL será disputado tanto por Carlos Brandão como por Weverton Rocha.

Outros partidos

Fora da discussão interna do Palácio dos Leões, os demais candidatos se articulam com os seguintes partidos:

Josimar de Maranhãozinho – PL, Avante, Patriota e DC

Edivaldo Júnior – PSD

Lahesio Bonfim – PTB

Ficando indefinido ainda o destino do PSC de Aluísio Mendes e a Rede Sustentabilidade. Assim como outros nanicos que possuem pouca influência ou mantém sua posição de sempre participar da eleição: PMB, PCO, PSTU, PCB e UP.

O Novo é o único partido que não deve se sujeitar a essas discussões e no momento avalia uma pré-candidatura própria ao Governo ou não.

Blog do Diego Emir

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.