Eliziane Gama volta a ser cotada para vice de Simone Tebet

Às vésperas da convenção que deverá oficializar a candidatura de Simone Tebet (MDB) à Presidência, ganhou força nos bastidores a indicação da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) como sua candidata a vice. Se confirmada, a chapa presidencial seria a primeira totalmente feminina da história do Brasil entre partidos com representantes no Congresso. As duas são colegas no Senado e mantêm uma boa relação. Além disso, tiveram protagonismo durante a CPI da Covid. O eleitorado feminino é considerado crucial para a definição da corrida presidencial.

O nome cotado para a vice de Simone era o do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), o principal articulador de sua candidatura. O movimento do político cearense, atrelado a outros caciques tucanos, foi crucial para a desistência do ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) em favor da senadora. No entanto, por motivos familiares, Tasso passou a sinalizar que não poderia se comprometer com a agenda intensa de uma campanha presidencial.

O nome de Eliziane Gama, que chegou a ser aventado no passado, voltou à mesa por uma série de atributos que agregariam à chapa de Simone, que pontuou 4% na última pesquisa Ipespe/XP, atrás de Lula (PT), Jair Bolsonaro (PL) e Ciro Gomes (PDT). O principal deles é que ela não representaria um rompimento no acordo com o PSDB, já que o Cidadania e os tucanos compõem uma federação.

Eleita em 2018 com 1,5 milhão de votos na chapa de Flávio Dino (então PCdoB), Eliziane tem uma trajetória política com acenos à esquerda e a pautas conservadoras. Evangélica, é a favor da criminalização ao aborto. Em 2016, enquanto deputada federal, votou a favor do impeachment de Dilma Rousseff. Mas, diante do segundo turno de 2018, declarou voto em Fernando Haddad (PT) contra Bolsonaro.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.